Decolagem autorizada: Fokker 100 restaurante da Pan Am Experience estreia em Brasília

Gabriel Benevides

Visando trazer uma experiência gastronômica dentro de um Fokker 100 ex-Avianca Brasil, a Pan Am Experience Brasil buscar dar aos espectadores a sensação de estar voando nos tempos áureos da aviação.

Lançado na última sexta-feira (6), a Pan Am Brasil dá aos passageiros a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre o universo aeroportuário e gastronômico. O empreendimento conta com procedimentos de serviço de bordo idêntico ao de um voo operado por uma companhia aérea regular, além de, um gostinho próximo de estar sobrevoando enquanto saboreia pratos especiais oferecidos pelo menu da companhia.

Continua após a publicidade

Já na entrada do estabelecimento, recebemos um cartão de embarque com os assentos demarcados e qual classe iremos voar, há também, um local para aguardar o embarque com os demais passageiros. 

Curiosamente, o avião conta com uma ambientação sonora para simular o momento do pouso e decolagem da aeronave, inclusive, com os comissários de bordo passando instruções de segurança durante a preparação para a decolagem simulada, o que pode ser uma boa opção para aqueles que nunca voaram em uma aeronave, mas estão à procura de uma experiência para experimentar os bastidores de um voo.

Uniformes Tripulação da Pan Am Brasil relembram o período dourado da aviação

Dado o início do serviço de bordo, o momento acaba se tornando um convite especial para dar uma voltar no tempo, pois a maioria dos utensílios utilizados durante o “voo” foram pertencentes às companhias aéreas brasileiras históricas do passado como a Varig e Vasp, por exemplo. 

Com destinos internacionais a depender do bilhete vendido, a Pan Am Experience Brasil dá uma ênfase em trazer pratos temáticos, além de uma variedade de bebidas disponíveis para a escolha dos visitantes.

Fokker 100 e a sua inspiração de pintura:

Batizado de ‘Clipper Golden Light’, o mesmo nome de batismo no passado de um DC-8 de matrícula N1803 com as cores da Pan Am, esse quadrijato foi entregue em janeiro de 1970. É curioso o fato desse DC-8 ter sido uma aeronave operada exclusivamente para a Braniff (a Pan Am nunca teve DC-8-62), fazendo parte de em um intercâmbio Braniff-Pan Am, na época.

Um DC-8 foi a fonte de inspiração para a pintura do Fokker 100 Foto: George W. Hamlin via Jetphotos

Muitos se questionam o motivo da não escolha de uma companhia aérea de bandeira brasileira para o projeto, para o idealizador do projeto, Ricardo Espindola, o fato de algumas das marcas das companhias aéreas brasileiras inoperantes ainda possuírem o licenciamento para o uso de marca, fez com que a Pan Am fosse a escolha mais viável para o seu projeto. Ricardo que é apaixonado por aviação e gastronomia já havia no passado um mockup improvisado (chamado de Clipper 01) para o andamento do seu projeto, mas com a vinda do Fokker 100 agora é possível alavancar a experiência de relembrar os tempos dourados da aviação.

Sobre o Fokker da Pan American Airways, está será a sua segunda oportunidade de ostentar as cores de uma companhia norte-americana, quando em outubro de 1992 foi entregue à American Airlines com a matrícula N1430D, e em 2003, encerrou o seu ciclo operacional na American, desde então, a aeronave ficou por três anos parada no Aeroporto de Mojave, Califórnia, local conhecido por ser um cemitério de aeronaves, além de operar como um centro de teste aeroespacial civil.

Três anos mais tarde, foi a vez do Fokker 100 (batizado de MK 28) fazer a sua estreia na brasileira OceanAir, se tornando uma importante aeronave para rotas de médio e curto curso da companhia brasileira, inclusive operando a partir de 2010 com a marca da Avianca Brasil, sendo está a sua última operadora.

Fokker 100 nas cores do seu primeiro operador aéreo: a American Airlines. Foto: Michael D. Licko via JetPhotos
Hoje nas cores da Pan Am, o Fokker 100 utilizado como restaurante operou pela última vez na extinta Avianca Brasil

Um passado inesperado, mas com um final feliz!

Vídeo: Estenio Gomes via Youtube

Muitos devem se lembrar quando o PR-OAF da finada Avianca Brasil teve problemas hidráulicos no seu trem de pouso dianteiro durante a sua aproximação de pouso no aeroporto de Brasília em 28 de março de 2014, momento em que a aeronave realizava um voo de Petrolina (PNZ) com destino a Brasília (BSB).

Apesar da situação adversa, a tripulação da Avianca Brasil seguiu com todos os procedimentos emergenciais para para pousar a aeronave de maneira segura, desde então, o Clipper 02 acabou encerrando a sua trajetória operacional, permanecendo esquecido no aeroporto de Brasília durante seis anos, mas que ganhou em 2020 uma nova oportunidade na Capital Federal ao se tornar um ponto turístico e gastronômico.

Um novo legado:

Felizmente com uma nova realidade, o Fokker 100 ganhou uma nova matrícula (N281PA) e está pronto para realizar os mais variados tipos de trajetos pela Pan Am Brasil, quem sabe este projeto não se torna espelho para outros empreendimentos no Brasil, pois muitos aeroportos brasileiros atualmente contam com uma variedade de aeronaves (inclusive algumas históricas), mas estão abandonadas e sucateadas em decorrência de batalhas judiciais entre credores e antigos operadores aéreos.

Localizado atrás da Igreja Batista Central de Brasília na SGAS 603 – Asa Sul, próximo ao coração de Brasília, já é possível agendar o seu voo e desfrutar de um experiência gastronômica,, para os interessados, basta clicar aqui para mais detalhes sobre as reservas.

Veja a galeria de fotos:

Compartilhe nas redes sociais

Acesse o Fórum Contato Radar para mais informações sobre a aviação no Brasil e no mundo clicando aqui!

Deixe um comentário