Miami registra movimento recorde de carga aérea

O ano de 2020 foi desafiador para todos os setores econômicos, inclusive para a aviação. Subitamente, a demanda aérea de passageiros evaporou, fazendo com que companhias aéreas precisassem estocar aeronaves, cancelar rotas e demitir funcionários.

Apesar disso, o setor de carga aérea ganhou espaço mesmo com a pandemia, sendo a “salvação” de muitas empresas. Ao longo do último ano, diversas companhias aéreas retiraram as poltronas de seus aviões e passaram a operar voos exclusivamente cargueiros, como forma de incrementar receita.

Continua após a publicidade

Nesse sentido, o setor cargueiro do Aeroporto Internacional de Miami (MIA) parece ter sentido os efeitos da pandemia por pouco tempo. Segundo a própria administradora do aeroporto, o ano de 2020 foi “histórico”, registrando um aumento de 2,5% em comparação a 2019.

Esteja informado: clique aqui e leia mais notícias de Aviação!

No total, foram movimentadas 2,32 milhões de toneladas ao longo do ano passado, 57,4 mil toneladas a mais que em 2019. Para efeitos de comparação, ao longo de 2020 o Brasil inteiro movimentou aproximadamente 1,25 milhões de toneladas de carga. Em síntese, apenas Miami (MIA) movimentou quase o dobro de todos os aeroportos brasileiros somados.

Ademais, foram operados 59.000 voos exclusivamente cargueiros, frente aos 51.000 em 2019, um número recorde para o aeroporto. Nos meses de Outubro, Novembro e Dezembro, houve uma movimentação média mensal de 210 mil toneladas, uma marca nunca antes alcançada.

“Nosso recorde não teria sido possível sem a estreita parceria que compartilhamos com cada companhia aérea, agências federais e setor de logística, que adaptou e deu continuidade aos seus serviços durante a pandemia.”, disse o diretor e CEO do MIA Airport, Lester Sola.

Compartilhe nas redes sociais

Acesse o Fórum Contato Radar para mais informações sobre a aviação no Brasil e no mundo clicando aqui!

Deixe uma resposta