Veja como funciona o processo de Check C de um ATR no Hangar da VoePass

A VoePass Linhas Aéreas, companhia brasileira com mais tempo em atividade, tem Ribeirão Preto como sua sede e um de seus centros de operações. Além disso, a empresa também conta com um centro de manutenção localizado no Aeroporto Leite Lopes.

Em 2004 quando as operações da companhia foram retomadas, eram utilizadas aeronaves EMB-120 Brasília, fabricadas pela Embraer, porém a empresa só era homologada para a execução dos checks de manutenção mais leves, os chamados Checks A.

Continua após a publicidade

Com o passar do tempo e com o crescimento da frota dos bimotores E120 Brasília, a companhia foi homologada para realizar os checks de manutenção mais pesados, os chamados Checks C.

No ano de 2008, com a preparação para a chegada dos jatos Embraer ERJ-145, a Passaredo, atual VoePass, ampliou seu centro de manutenção, construindo um novo hangar com aproximadamente 3700m² de área interna, capaz de abrigar 4 aeronaves ERJ-145 ou 3 aeronaves ATR72 com as portas totalmente fechadas. A nova estrutura é significativamente maior que o hangar de manutenção utilizado anteriormente, onde a capacidade era para 4 aeronaves EMB-120 Brasília, e que posteriormente ficou dedicado exclusivamente ao atendimento da aviação executiva.

Com a devolução dos Embraer ERJ-145 e com a chegada dos primeiros ATR72-600s, o Centro de Manutenção passou também a ser homologado para realizar todas as manutenções de célula requeridas pelas aeronaves ATR42 e ATR72. Durante a visita ao hangar, o ATR72-500 de matrícula PP-PTP, batizado “Tuiuiu”, estava passando por Check C e o PR-PDJ “Andorinha” estava em processo de retirada do adesivo da Cerveja Crystal.

O Check C é uma revisão mais complexa da aeronave que ocorre a cada 5.000 horas de voo e em seus múltiplos, como 10.000 e 15.000 horas.

Uma aeronave ATR 72, quando atinge 5.000 horas de voo desde nova, deve ser parada para cumprir seu primeiro Check 1C. Quando atinge 10.000 horas de voo, deve-se cumprir um Check 2C e também um Check 1C, uma vez que mais 5.000 horas foram voadas desde o seu último cumprimento. Com 15.000 horas de voo, a aeronave cumpre um Check 3C e novamente o Check 1C. Com 20.000 horas de voo, ela cumprirá um Check 1C, um Check 2C e um Check 4C e assim consecutivamente.

Durante o Check C a aeronave passa por uma manutenção complexa e detalhada em sua estrutura, sistemas, tais como sistema hidráulico, eléctrico, pneumático, motores e demais componentes. A aeronave fica suspensa em macacos hidráulicos, onde são retirados os trens de pouso, os bins (compartimento de bagagens), poltronas, piso e teto. Na cabine de comando, os instrumentos são removidos e todos estes componentes são enviados para suas respectivas oficinas. O processo de check C dura em média 20 dias. Após a reinstalação dos componentes na aeronave, a mesma passa por teste de motores e um voo teste, para posteriormente retornar a sua malha operacional.

Atualmente a equipe de manutenção da VoePass é homologada para realizar todos os checks de manutenção requeridos pelas aeronaves ATR, inclusive o check de 36 mil ciclos, o mais complexo deste modelo, além de todas as manutenções nas aeronaves ERJ-145 e EMB-120 Brasília.

Matéria baseada em uma postagem realizada em outubro de 2018 pela equipe RAO Spotter, que pode ser conferida clicando aqui!

Compartilhe nas redes sociais

Acesse o Fórum Contato Radar para mais informações sobre a aviação no Brasil e no mundo clicando aqui!

Deixe uma resposta