Norwegian deseja encerrar contratos de arrendamento de 36 aeronaves

Guilherme Dotto

Em solicitação ao Tribunal Superior da Irlanda, a Norwegian Air Shuttle pede o fim antecipado do acordo de arrendamento de 36 aeronaves, operadas por suas subsidiárias.

Em meio à um plano de reestruturação, necessitando arrecadar 500 milhões de euros, a companhia também mostrou seus planos de redução de sua frota, pedindo o fim do contrato das aeronaves imediatamente.

Continua após a publicidade

O examinador Kieran Wallace, vem elaborando um plano para manter a companhia viva e em operação, que deverá ser aprovado pelo tribunal.

Esteja informado: clique aqui e leia mais notícias de aviação!

Com seu novo plano de operações, a transportadora de baixo custo planeja operar até 2022 o número de 68 aeronaves Boeing 737, visando conexões de curta distância dentro da Europa. 

Na última apresentação a seu investidor, a Norwegian pretende ganhar um novo patrimônio ainda em 2021. Em seu estimado, a companhia disse que antes da reestruturação, a baixa de ativos de aeronaves arrendadas cortaria seu patrimônio em US $ 1,2 bilhão.

Após a saída do processo de reestruturação, os novos investidores deteriam 70% do capital da transportadora aérea, enquanto os credores convertidos deteriam 25%. Nisso, os acionistas teriam somente 5% das ações da companhia aérea.

Na entrada com processo na Irlanda em novembro de 2020, o Supremo Tribunal da Irlanda concedeu proteção à companhia, dando à empresa tempo para continuar a reestruturação de suas dívidas.

Compartilhe nas redes sociais

Acesse o Fórum Contato Radar para mais informações sobre a aviação no Brasil e no mundo clicando aqui!

Deixe uma resposta