Boeing 757 presidencial da Argentina voltará a operar

Foto crédito: Argentina Spotters

Nesta semana o governo argentino informou que realizará uma série de melhorias para colocar de volta aos céus o Boeing 757-200 presidencial. O jato é conhecido como Tango 01.

O avião presidencial da Argentina está parado desde 2015 na base aérea de El Palomar. Com investimento previsto de US$12 milhões, o retrofit será realizado pela FADEA em Córdoba com início previsto para 2021.

Continua após a publicidade

Anualmente, mais de US$200 mil são gastos para manter a aeronave estocada. Segundo o governo argentino, o Tango 01 está em excelentes condições. “O estado de conservação é ótimo, tem apenas 14 mil horas de voo. A manutenção é feita todas as semanas e a cada cinco dias são realizados testes nos motores”, informou um porta voz do governo. 

O Boeing 757 presidencial foi adquirido pelo governo em 1992, e agora passará por melhorias e reparos que incluem revisão total do motor; pintura externa; reparo do trem de pouso; atualização da unidade de aquisição de dados (DFDAU); software do sistema de comunicação digital a bordo e um novo tanque de combustível com maior autonomia. Assim poderá realizar voos para os Estados Unidos e Europa sem fazer escalas.

Atualmente, a aeronave tem alcance de 6.000 km, ou sete horas e meia de autonomia. Com tanques suplementares, aumentaria para 10.200 km podendo assim realizar tranquilamente um voo direto sem escalas de Buenos Aires para Madri na Espanha por exemplo. Também está previsto retrofit no interior da aeronave que manterá a capacidade para 37 passageiros. “Iremos fazer pequenas mudanças em seu interior. Pretendemos instalar novos televisores a bordo, retirar uma porta que liga o escritório a suíte presidencial entre outros pequenos ajustes”, informou Direção-Geral de Logística, chefiada por Leonardo Barone.

A decisão de levar aos céus novamente o Tango 01 não será imediata. O pedido de licitação levará pelo menos 45 dias e os reparos necessários para trazer de volta a aeronave presidencial levaria mais de 120 dias. Caso não haja complicações.   

A equipe responsável pela aeronave, estão entusiasmados por poderem realizar pelo menos parte dos reparos na Fábrica de Aeronaves de Córdoba (FADEA). “Estamos conversando com diferentes empresas, o objetivo é deixar o know-how de outro país para intermediários nas inspeções”.

Compartilhe nas redes sociais

Acesse o Fórum Contato Radar para mais informações sobre a aviação no Brasil e no mundo clicando aqui!

Deixe uma resposta