Ethiopian é punida e terá seus voos suspensos em Xangai por 5 semanas

Guilherme Dotto

A Ethiopian Airlines deverá suspender suas operações em Xangai por um período de cinco semanas a partir do dia 26 de outubro. A suspensão comandada após quinze passageiros em um de seus voos testarem positivo para COVID-19.

A Administração de Aviação Civil da China (CAAC) determinou que a transportadora da África Oriental suspendesse cinco semanas de seus voos partindo de Addis Abeba até Pudong por ter violado regulamento de segurança do país.

Continua após a publicidade

Cinco dos passageiros do voo ET684 do dia 6 de outubro obtiveram resultados positivos logo após a chegada, e foram colocados em quarentena no aeroporto. Outros dez também testaram positivo uma semana depois, em 13 de outubro.

A China exige que todos os viajantes internacionais tenham o teste PCR negativo feito no máximo 48 horas antes da partida do voo.

As pessoas com teste positivo no vôo da Ethiopian receberam seus certificados de teste antes da partida do Silk Road General Hospital, um centro de testes do vírus de propriedade chinesa em Addis Abeba.

Devido ao resultado, a Ethiopian disse que não aceitará mais passageiros com testes do vírus feitos no Silk Road General Hospital.

Compartilhe nas redes sociais

Acesse o Fórum Contato Radar para mais informações sobre a aviação no Brasil e no mundo clicando aqui!

Deixe uma resposta