Boeing prevê corte de 11% da perspectiva de aeronaves dos próximos 10 anos

Guilherme Dotto

Como resultado da pandemia vivida no mundo, a Boeing reduziu sua concepção de mercado de novas aeronaves na próxima década. Com suposições não tão boas para o futuro, a fabricante norte americana estimou que seus serviços e produtos ficarão 11% abaixo de sua perspectiva anterior.

Sem saber exatamente o que irá ocorrer no futuro, as maiores fabricantes aeronáuticas desejam reagir antecipadamente a qualquer ação que se aproxima, para que possa prontificá-la.

Continua após a publicidade

A previsão de aeronaves para os próximos 10 anos, foi revelada pela fabricante aeroespacial na última terça-feira (06). Após a revísão de seus números, o resultado baixo devido à pandemia foi avistado.

Nos próximos 10 anos, a Boeing estima que 18.350 novas aeronaves comerciais serão necessárias em todo o mundo. Isto é 11% a menos do que no ano de 2019.

Em um exclarecimento, o vice-presidente de marketing comercial da Boeing, Darren Hulst, mencionou que a fabricante estima que dentre as 18.350 novas aeronaves comerciais, obterão um valor de US$ 2,9 trilhões.

Compartilhe nas redes sociais

Acesse o Fórum Contato Radar para mais informações sobre a aviação no Brasil e no mundo clicando aqui!

Deixe uma resposta