NELLA apresenta diretores durante live e anuncia que voará com ATR 42-300

Últimos posts por Calebe Murilo (exibir todos)
Ilustração: @AeroPaint_Design

Em live promovida pelo canal Teaching for Free, o Vice-Presidente de operações da NELLA, Dyin Mabe, apresentou três executivos que foram escolhidos para dar início às operações da companhia.

O primeiro é Adriano Pinhas, que será Diretor de Estratégia e Receitas. Adriano foi CRO (Chief Revenue Officer) da Passaredo (atual VoePass) por mais de 8 anos, acumulando o cargo de chefe de diversas áreas, como gestão de receita, preços, alianças entre outras.

Continua após a publicidade

A segunda pessoa apresentada foi Marcelo Victorino, que será Diretor de Operações. Marcelo é piloto de linha aérea, passou por diversas companhias, trabalhando desde a operação até nos setores administrativos, como piloto chefe. Formado em Administração de Empresas, também tem extensão em Recursos Humanos e é pós-graduado em Gestão e Direito Aeronáutico.

Por último, foi apresentado Alexandre Fontes, que será Diretor de Manutenção. Fontes é Técnico em Manutenção de Aeronaves, graduado em Engenharia Eletrônica, Engenharia Civil e já trabalhou em diversas companhias aéreas. O mesmo terá o desafio de criar e desenvolver a estrutura de manutenção, suprimentos e frotas.

De onde virá o dinheiro a ser investido na NELLA?

Conforme respondido por Dyin, Mauricio Souza que é CEO e principal investidor da companhia, possui 11 empresas pertencentes ao Grupo JKL, que será financiador da NELLA. O Grupo JKL possui duas aeronaves próprias e dará aporte para a nova empresa cedendo os aviões.

Inicialmente, 2 aeronaves ATR 42-300 serão responsáveis pela decolagem da empresa. O plano de acordo com os diretores, é ter 10 aeronaves em 24 meses, com o objetivo de futuramente adquirir aviões ATR 72-500.

Quais são os planos para o início das operações?


De acordo com o Vice-Presidente, a intenção é estar já operando no primeiro semestre do próximo ano, entretanto, o foco da empresa no momento é obter a certificação RBAC 121.

A ideia da companhia é ter o aeroporto da cidade de Brasília (BSB) como hub operacional, com 16 a 20 operações diárias partindo da capital federal, voando para no máximo 5 destinos, num primeiro momento.



Compartilhe nas redes sociais

Acesse o Fórum Contato Radar para mais informações sobre a aviação no Brasil e no mundo clicando aqui!

Deixe uma resposta