Virgin Atlantic recorre ao pedido de recuperação judicial nos EUA

Últimos posts por Gabriel Araújo (exibir todos)

A crise causada pela pandemia agravou os problemas financeiros das companhias aéreas ao redor do mundo. Visando uma forma de reestruturar suas dívidas, a Virgin Atlantic aderiu ao Chapter 15 nos Estados Unidos.

Segundo o portal Business Insider, o Chapter 15 é uma forma de falência equivalente a recuperação judicial projetada para casos envolvendo vários países, fornecendo um mecanismo para empresas estrangeiras em processo de falência em seu próprio país para acessar o sistema judicial dos EUA.

A Virgin informou ao tribunal de Londres que poderá ficar sem dinheiro para manter as operações no próximo mês, a menos que consiga a aprovação de um pacote de resgate de 1,2 bilhão de libras (2,2 bilhões de dólares) anunciado em julho.

Entretanto, caso a companhia não consiga a aprovação do aporte para que possa arcar com suas dívidas, esta seria forçada a suspender suas operações por falta de caixa. As reservas da Virgin caíram 89% em relação ao ano anterior e a demanda atual para o segundo semestre de 2020 está em aproximadamente 25% dos níveis de 2019.

Enquanto um tribunal do Reino Unido supervisiona as reivindicações, os ativos da Virgin nos EUA estarão protegidos dos credores.

No mês de abril, a Virgin Atlantic foi colocada à venda. Richard Branson, fundador da companhia, esperava que governo do Reino Unido concedesse à companhia um auxílio estatal, o que aliviaria o caixa da empresa.

Compartilhe nas redes sociais

Acesse o Fórum Contato Radar para mais informações sobre a aviação no Brasil e no mundo clicando aqui!

Deixe uma resposta