Azul realiza movimentação na sua frota de E-Jets

Enquanto a pandemia não termina, o planejamento de voos ainda continuam sendo limitado para o futuro próximo. A frota também é outro tema sensível, que uma das únicas certezas é que terá um excedente para os próximos dois anos.

Contudo, para gerenciar esse excedente, a Azul realizará movimentos na sua frota de Embraer E-Jets. A previsão é que nos próximos meses, pelo menos 14 unidades deixarão a frota da companhia.

A nova companhia do fundador da Azul, David Neeleman, a Breeze Airlines, receberá 12 E-Jets nos próximos 18 meses. Serão utilizados enquanto a companhia não recebe os novos Airbus A220, que deverão substituí-los gradativamente.

Outro movimento é a devolução de dois E190 de primeira geração que estão subarrendados para a Portugália, sob marca de TAP Express. Ainda não há informações se estas ficarão na companhia portuguesa ou se retornarão para os lessores.

Rebaixamento do rating de longo prazo

Recentemente a agência de classificação de riscos Fitch Rating, rebaixou a nota de longo prazo da Azul de B- para CCC. De acordo com a agência, o movimento deve-se ao fato da baixa demanda das viagens aéreas no país e as incertezas do setor.

Outro ponto apresentado foi a posição de caixa para manter suas operações, que são estimados até para meados de 2021. Entretanto, a dificuldade seria acesso ao crédito e a demora para conseguir o empréstimo do BNDES.

Compartilhe nas redes sociais

Acesse o Fórum Contato Radar para mais informações sobre a aviação no Brasil e no mundo clicando aqui!

Deixe uma resposta