GOL garante 12 meses de caixa para enfrentar a crise

Nesta semana, a GOL divulgou sua atualização mensal aos investidores. A situação financeira da companhia não está tão delicada como as de suas principais concorrentes.

Segundo o relatório, a companhia possui caixa suficiente para enfrentar a crise por pelo menos 12 meses com os custos atuais. Tal feito só é possível devido ao sucesso nos acordos coletivos de trabalho das principais classes, aeroviários e aeronautas, além dos acordos com bancos, empresas de leasing e demais stakeholders.

Continua após a publicidade

Para Paulo Kakinoff, CEO da GOL, o modelo de negócios da companhia também é o diferencial. “À medida que a demanda de passageiros é retomada, nosso modelo de negócios flexível e de baixo custo nos permite reabrir rapidamente as rotas necessárias. Estamos confiantes na nossa sólida posição, como a maior companhia aérea doméstica do Brasil, para atender a essa demanda e, como resultado, podemos aumentar nossa participação no mercado durante a recuperação.

Estamos empenhados em tornar nossos voos os mais seguros e confortáveis possíveis nas atuais circunstâncias. À medida que as viagens aéreas recomeçam, os passageiros desejarão voar com as companhias em que mais confiam nos quesitos Serviço e Segurança. Sempre nos orgulhamos desses dois atributos na GOL durante nossos quase vinte anos de operações. Acreditamos que nosso histórico de atendimento ao Cliente nos diferenciará no momento em que os brasileiros forem escolher com quem voar nos próximos meses”.

No mês de junho, a companhia manteve uma média de 120 voos diários em todo o país. No trimestre, as vendas brutas consolidadas da GOL atingiram R$658 milhões e a taxa de ocupação foi de 77%. O consumo líquido de caixa representou R$2 milhões por dia.

Compartilhe nas redes sociais

Acesse o Fórum Contato Radar para mais informações sobre a aviação no Brasil e no mundo clicando aqui!

Deixe uma resposta