Emirates e Flydubai podem estar se aproximando de uma fusão

Últimos posts por Raphael Magalhães (exibir todos)

Com a pandemia, o mercado mundial da aviação mudou repentinamente. Em questão de pouco tempo, as restrições de viagens tomaram conta do planeta, e a demanda aérea por passageiros foi diretamente afetada.

Companhias aéreas precisaram se readequar ao novo cenário, onde as cargas se tornaram mais do que nunca um segmento muito rentável, ao retirar os assentos da aeronave para aumentar a capacidade de transporte de suas aeronaves.

Com a recuperação gradual no fluxo de passageiros no mundo, enquanto aguardamos uma solução definitiva para a pandemia, encontrar o tamanho certo de aeronave a ser operado parece ser uma equação difícil de resolver em alguns casos.

A Emirates, uma das maiores companhias aéreas do mundo, possui uma frota de cerca de 240 aeronaves, onde o menor modelo operado pela empresa é o Boeing 777. Esse modelo de negócios, na atual circustância, peca por não ter uma aeronave de menor capacidade, para operar em rotas onde aeronaves como o Boeing 777 ou o Airbus A380 são ‘grandes demais’.

Nesse sentido, a Emirates e a flydubai, companhia aérea também baseada em Dubai (DXB) e que opera exclusivamente Boeing’s 737, estão estreitando os laços de parceria para enfrentarem juntas esse momento difícil para a aviação.

A intenção das duas empresas é otimizar as operações, usando os 737’s da flydubai para rotas mais curtas e onde a demanda afetada não justifica o emprego dos widebodies da Emirates, que por sua vez, utilizará seu amplo HUB de conexões em Dubai para conectar passageiros nas aeronaves da flydubai, trazendo benefícios mútuos.

“A Flydubai é um importante elemento de apoio à Emirates, e as aeronaves disponíveis hoje em sua frota fazem parte de nossos planos e, portanto, devemos aproveitar ao máximo as aeronaves das duas companhias aéreas” disse o Diretor Comercial da Emirates, Adnan Kazim.

Compartilhe nas redes sociais

Acesse o Fórum Contato Radar para mais informações sobre a aviação no Brasil e no mundo clicando aqui!

Deixe uma resposta