Com retorno do MAX, GOL pretende devolver mais 737 NG

De acordo com a divulgação de resultados da GOL na manhã desta sexta-feira (31), a companhia antecipou o planejamento de frota. Devido ao cenário atual, a maior parte da frota ficou estocada, e com o retorno lento do mercado, será necessário a devolução de algumas aeronaves.

Atualmente, a GOL conta com uma frota de 130 aeronaves, sendo 123 Boeing 737 NG e sete unidades da versão MAX, que estão estocadas desde março do ano passado. Durante o segundo trimestre, apenas 27 737 NG ficaram operacionais.

Continua após a publicidade

Por outro lado, no próximo trimestre, a companhia estima que o número aumentará para 74 no final de setembro. A estimativa é que encerre o ano de 2020 com 102 aeronaves operacionais de um total de 124.

Entre os meses de agosto e setembro, está previsto a recertificação do 737 MAX pela autoridade aeronáutica americana, a FAA. Com o retorno das operações do novo modelo, a GOL pretende devolver pelo menos 30 unidades do 737 NG entre 2021 e 2022.

O que indica, que durante o mesmo período, poderá receber novos 737 MAX para compensar a saída do modelo antecessor. Em abril, a GOL reduziu o número de pedidos de 34 unidades do MAX que seriam recebidos entre 2020 e 2023.

Compartilhe nas redes sociais

Acesse o Fórum Contato Radar para mais informações sobre a aviação no Brasil e no mundo clicando aqui!

Deixe uma resposta