Um ano de preparação para a Azul pousar no Santos Dumont com A320neo

Não é simples querer operar um determinado avião em um aeroporto. É necessário muita preparação para poder ser possível isso acontecer. No Brasil, a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) é a responsável por auditar e homologar tanto o aeroporto, quanto a companhia aérea a operar neste aeroporto.

Foi o caso da Azul nessa segunda-feira (08) ao pousar no aeroporto do Santos Dumont (SDU) pela primeira vez em um voo regular com o Airbus A320neo. Vitor Silva, gerente sênior de planejamento da Azul descreveu em seu speech para os passageiros em voo: “Foi um ano de preparação, tivemos que fazer novos treinamentos e preparação. Esse avião é modificado para poder operar no Santos Dumont.”

Durante um ano, a Azul treinou seus pilotos em várias horas de simulador de voo, além de operações reais sem passageiros para receber a homologação da ANAC. Muito preparo para permitir toda a segurança na operação do A320neo no SDU.

À bordo, Vitor conversou com os jornalistas presentes sobre quais são as principais mudanças nessa modificação. A Azul conta com algumas unidades do Airbus A320neo SHARP, que são preparados para operações em pistas curtas, tanto para decolagem e pouso. Por tanto, são necessários alterações em conjuntos de freios e aerodinâmica, como as alhetas que são instaladas nas carenagens dos motores que permitem que, o ar que passa em cima das asas, acompanhe mais fielmente o perfil da asa, permitindo que a aeronave aproxime com uma velocidade um pouco menor do que o normal.

As restrições para pousos e decolagens para voos de até uma hora e quinze minutos são mínimas em comparação uma operação normal com a mesma aeronave. Porém sempre são levados em conta outras variáveis como temperatura, direção e velocidade dos ventos, que podem afetar e restringir um pouco na quantidade de passageiros para permitir o máximo de segurança.

Mas isso pode não ser tanto problema para a Azul em breve. A companhia já está desenvolvendo juntamente com a General Eletric e a Thales, responsáveis por motores e outros sistemas do A320neo, uma versão ainda melhor do SHARP. Com isso, as possíveis restrições seriam ainda menores, permitindo que tanto em rotas curtas ou longas, seja possível pousar e decolar do Santos Dumont praticamente lotado de passageiros, bagagens e carga. O processo para isso acontecer ainda depende de algumas variáveis e a ANAC também precisar de certificar tais operações com a nova versão.

“Em meio à essa pandemia, a Azul está sendo inovadora ao trazer esse avião para a operação no Santos Dumont, que também vai lançar novos voos a partir do aeroporto central do Rio. O A320neo vai permitir que a gente volte a operar voos diretos para Porto Alegre, Brasília e futuramente Cuiabá e Recife.” Completou Vitor em seu speech.

Para esse voo especial, a Azul contou com dois comandantes, o Edson Scrignoli e Lucas Valvano. “Para a gente foi muito importante essa certificação no Santos Dumont e realizar o primeiro pouso do Airbus A320neo da Azul no aeroporto. Estamos muito felizes em poder contribuir com a operação da companhia e a emoção foi muito grande”, comentou o comandante Edson sobre a primeira operação regular do jato.

Compartilhe nas redes sociais

Acesse o Fórum Contato Radar para mais informações sobre a aviação no Brasil e no mundo clicando aqui!

One thought on “Um ano de preparação para a Azul pousar no Santos Dumont com A320neo

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido pelo Contato Radar!