Estados Unidos proíbe voos de companhias aéreas chinesas

Em um possível ato de retaliação, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump através do Departamento de Transportes (DOT), quer impedir o retorno das companhias aéreas da China aos país. A medida vem de acordo com a proibição do retorno das companhias aéreas americanas na China, em especial a Delta e United.

A proibição dos voos das companhias chinesas começa a partir do próximo dia 16. Em comunicado emitido pelo DOT, afirmam que: “é uma resposta ao erro do governo da República Popular da China não permitir que as companhias americanas em exercer o direito na operação bilateral no transporte previsto de passageiros de e para a China, por isso, estará suspendendo as operações previstas de passageiros previstas de todas as companhias chinesas para e de Estados Unidos. Essa ordem tem validade a partir de 16 de junho de 2020”.

Quatro companhias aéreas serão afetadas com a decisão do DOT:

  • Air China, que opera um voo triangular entre Pequim (PEK), Los Angeles (LAX) e Tianjin (TSN);
  • China Eastern que está operando um voo semanal entre Shanghai (PVG) e Nova York (JFK);
  • China Southern Airlines que também conecta o EUA uma vez por semana através da rota Guangzhou (CAN) e Los Angeles (LAX); e
  • Xiamen Airlines.

Assim como na decisão recente para a proibição na entrada de pessoas que estiveram no Brasil nos últimos dias, o Estados Unidos já tinha realizado tal proibição com a China. Por isso, poucas companhias aéreas vem oferecendo a conexão entre os dois países, além da quantidade baixa de frequências.


Acesse o Fórum Contato Radar para mais informações sobre a aviação no Brasil e no mundo clicando aqui!

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido pelo Contato Radar!