Voos especiais de repatriação que passaram pelo Brasil

Nos últimos meses o espaço aéreo brasileiro ficou um pouco agitado com tráfego diferente procedentes de diversas localidades ao redor do mundo. Os voos de repatriações que estão passando por aqui, fazem parte de um acordo feito entre o Itamaraty com autoridades estrangeiras para trazer brasileiros que estavam em 82 países. Além de cidadãos de diversas nacionalidades que estavam no Brasil e ficaram impedidos de sair de onde se encontravam.

Segundo a secretaria de Relações Internacionais da Câmara, devido ao surto que vem devastando as nações ao redor do mundo, diversos países impuseram rígidas restrições a aviação comercial. Em alguns países, houve o fechamento completo do espaço aéreo, segundo a ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil), 95% da malha aérea internacional foi suspensa. Com isso muitos brasileiros no exterior e estrangeiros no Brasil, passaram a depender de voos fretados para voltar ao seu país.

Para brasileiros retidos em países com suspensão absoluta de voos comerciais, o Itamaraty tem contratado diversas companhias aéreas para fretamento de voos, a Força Aérea Brasileira também já foi acionada para buscar brasileiros.

O Itamaraty informou que, no início da crise, os esforços estavam voltados a viabilização do retorno apenas de brasileiros residentes no Brasil. No entanto, com o transcorrer do tempo, e o aprofundamento da crise econômica em alguns países, o ministério passou a considerar também pedidos de brasileiros que residam no exterior, mas que estejam em situação de séria carência financeira.

Enquanto o Itamaraty junto com a ANAC e o Ministério do Turismo buscam soluções para resolver os problemas criados pelos extensos cancelamentos de voos, bem como para negociar a continuidade de rotas que permitam a volta dos brasileiros ao país, selecionamos alguns registros de empresas aéreas que deram as caras por aqui, confira.

A SAS (Scandinavian Airline System) e uma companhia com nacionalidade dos três países escandinavo: Suécia, Dinamarca e Noruega.

Após 30 anos voltou ao Brasil para repatriar cidadãos dinamarqueses, finlandeses, suecos, islandeses e noruegueses. O voo fez escala em Natal (NAT) antes de prosseguir para o Rio de Janeiro (GIG).

A companhia aérea Guaruda da Indonésia, realizou pela primeira vez um voo comercial para o Brasil. O voo foi fretado pela embaixada brasileira em Bangkok que resgatou diversos brasileiros que estavam retidos na Indonésia, Vietnã e Tailândia, antes de seguir para GRU, o Boeing 777-300ER fez escala em Amsterdam (AMS). No retorno assumiu o voo da parceira de aliança KLM até a Holanda.

A charter italiana Neos Air, realizou um voo de repatriação com o Boeing 787-9 Dreamliner trazendo brasileiros levando italianos de volta. O voo saiu de Milão, Malpensa (MXP) com destino à São Paulo (GRU).

EuroAtlantic Airways, realizou alguns voos de repatriação para Recife (REC) e São Paulo (GRU), os voos vieram procedentes de Lisboa (LIS) em Portugal e Luanda (LAD) na Angola.

A Fuerza Aérea Argentina (FAA) realizou um voo de repatriação com o clássico Fokker-28 TC-52 o único em operação nas Américas. A aeronave decolou da Base Aérea de El Palomar (EPA) e teve como destino São Paulo (GRU). O governo argentino vem realizando diversos voos de repatriação para Florianópolis (FLN), Rio de Janeiro (GIG) e São Paulo (GRU) com os Boeing 737-700 e 737-800 da Aerolineas Argentinas.

As empresas Amaszonas Bolívia e Amas Uruguay, estão realizando voos para São Paulo com o Embraer E190-E1 para repatriação, a empresa boliviana anunciou que a partir de 11 de junho, seus voos para capital paulista passará a ser regular.

Das companhias aéreas estrangeiras que realizaram voos de repatriação e cargueiros com insumos hospitalares para o Brasil, a Ethiopian Airlines lidera o ranking. A companhia aérea operou pela primeira vez em Confins (CNF) com o Boeing 787-8 e o Boeing 777-200LR. Fortaleza (FOR) e Belém (BEL), também contaram com operações do Dreamliner da companhia. Para a cidade de São Paulo, aonde realiza voos regulares, pousou pela primeira vez com o Airbus A350-900 repatriando cidadãos chineses.

A colombiana Viva Air, realizou o voo de repatriação com o Airbus A320 para São Paulo (GRU), procedente de Leticia na Colômbia (LET) e Iquitos no Peru (IQT). A norte-americana iAero Airways anteriormente Swift Air, realizou o voo de repatriação com o Boeing 737-800, que decolou de Miami (MIA) com destino a Manaus (MAO) e São Paulo (GRU).

Estamos passando por umas das piores crises que vem abalando o mundo atualmente. Esperamos que tudo volte ao normal o quanto antes, confiamos e temos a esperança que nossas aéreas consigam superar esta crise voltando a normalizada em breve.

Compartilhe nas redes sociais

Acesse o Fórum Contato Radar para mais informações sobre a aviação no Brasil e no mundo clicando aqui!

Deixe uma resposta