Mãe dá à luz durante voo de repatriação da Emirates

O voo EK783 operado pela Emirates Airlines, foi forçado a retornar para Dubai, de onde se originou, devido uma emergência médica, quando uma passageira entrou em trabalho de parto.

O Boeing 777-300ER de matrícula A6-EPM, decolou de Dubai (DXB) inicialmente às 10h55, horário local, com destino à Lagos para repatriar cidadãos nigerianos, foram apenas 33 minutos de voo antes do retorno ao aeroporto de origem, às 11h28 o voo já estava no solo.

Após o acontecido, os passageiros foram acomodados em outro voo que seguiu normalmente para Lagos, a mulher em trabalho de parto foi atendida por médicos de plantão no aeroporto e deu à luz em solo, ela e o filho foram transferidos para um hospital em Dubai. 

A criança, de pais nigerianos, que nasceu em Dubai, não tem direitos de cidadania local recebendo automaticamente a nacionalidade da Nigéria. No entanto, existem algumas exceções na legislação, se a criança nascer no Espaço Aéreo dos Estados Unidos da América, por exemplo, irá receber a nacionalidade norte-americana.

Compartilhe nas redes sociais

Acesse o Fórum Contato Radar para mais informações sobre a aviação no Brasil e no mundo clicando aqui!

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido pelo Contato Radar!