Governo diminui empréstimo disponível à aéreas via BNDES

Enquanto não se sabe quão demorada será a recuperação da crise sanitária instalada e crescente no país, nesta quinta (07) o ministério responsável por planejar ajuda aos setores mais afetados reduziu o crédito disponível para cada uma delas. A Reuters no Brasil reporta que o BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento) reduziu em um terço o empréstimo que faria às três principais companhias aéreas.

Os CEOs da GOL, LATAM e Azul até então, comunicaram ao governo o auxílio que julgavam essencial, total de 3 bilhões de reais para cada, agora terão que dividir o bolo reduzido em um terço: total de 6 bilhões de reais (US$ 1.02 bi). Existe um porém no Brasil, uma das companhias não é totalmente brasileira e tem sua sede no Chile, e este teria sido um dos motivos para a redução drástica, segundo a fonte governamental.

A LATAM é a maior aérea do continente e opera em diversos países na América do Sul, no entanto as complicações em negociações no Brasil podem afetar diretamente seu principal mercado. Ao mesmo tempo que fortalece suas raízes na relação de joint-venture com a gigante americana Delta Airlines. A LATAM ainda não se pronunciou sobre a atitude do governo.

Um complicador é que ainda não se decidiu se a fabricante brasileira de aeronaves Embraer, que já solicitou auxílio prioritário devido à dificuldades iminentes, entrará na conta desta divisão com as aéreas, o que pode tornar o cenário ainda pior.

Compartilhe nas redes sociais

Acesse o Fórum Contato Radar para mais informações sobre a aviação no Brasil e no mundo clicando aqui!

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido pelo Contato Radar!