Governo corta mais uma vez auxílio previsto às companhias aéreas

O valor deve ser dividido por apenas duas empresas, que coincidentemente possuem capital aberto e negociarão a diluição de suas ações com os bancos.

Segundo fontes ouvidas pela Reuters no Brasil, O BNDES fornecerá até 60% do valor e os bancos privados contribuirão com cerca de 10%. Gol e a Azul devem receber 2 bilhões de reais cada.

Ainda não está claro se um acordo será alcançado com a Latam Airlines, que teve seu auxílio atrelado a estar em uma listagem (B3) que a garanta ser uma empresa também brasileira.

O pacote de ajuda será feito por meio da emissão de bônus de 5 anos que terão um período de carência de um ano para o pagamento de juros, bem como de instrumentos que podem ser convertidos em ações.

Permanecemos na espera de novas informações e, assim que disponíveis, atualizaremos esta matéria.

Compartilhe nas redes sociais

Acesse o Fórum Contato Radar para mais informações sobre a aviação no Brasil e no mundo clicando aqui!

Deixe uma resposta