CEO da Emirates diz que “o Airbus A380 acabou”

Os comentários foram feitos hoje pelo chefe do maior cliente do Airbus A380 do mundo, enquanto o setor passa pela pior crise da história.

A atual pandemia atingiu fortemente o mundo da aviação, frotas em todo o mundo estão no chão, no entanto, o Airbus A380 foi o mais atingido. A aeronave se tornou vítima de seu próprio design apenas 15 anos após seu primeiro voo . No entanto, mesmo o maior cliente do A380 percebeu que seu tempo pode estar acabando.

“Sabemos que o A380 acabou, o 747 acabou”, afirmou o CEO da Emirates.

Ele acrescentou que ver a demanda por esses jatos maiores desacelerando, o que foi refletido pelas ações da Airbus e da Boeing. Há mais de um ano, a Airbus desligou todo o programa A380 . Enquanto isso, no primeiro trimestre de 2020, a Boeing não entregou nenhum 747 .

Em todo o setor, vimos uma mudança geral de aeronaves de quatro motores maiores e menos eficientes para jatos bimotores menores. As aeronaves menores são mais fáceis de encher e queimam menos combustível do que seus primos maiores. Um verdadeiro ganha-ganha. Time Clark ecoou esse sentimento, dizendo:

“O A350 e o 787 sempre terão um lugar. Eles podem não ser encomendados em breve, podem ter pedidos adiados e adiados, mas eventualmente eles voltarão e serão mais adequados provavelmente para a demanda global nos anos após a pandemia. ”

Um cenário mais provável seria ver a Emirates retornando com uma frota A380 um pouco menor e um cronograma de aposentadoria aumentado. No Dubai Airshow, o porta-bandeira dos Emirados Árabes Unidos assinou um contrato para 50 aeronaves Airbus A350 e separadamente para 30 Boeing 787-9 . Desta forma, eles poderiam ser usados ​​para substituir parte da frota do A380.

A companhia aérea espera receber suas primeiras aeronaves Airbus A350 e Boeing 787 após 2023.

Compartilhe nas redes sociais

Acesse o Fórum Contato Radar para mais informações sobre a aviação no Brasil e no mundo clicando aqui!

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido pelo Contato Radar!