Alitalia anuncia a saída da aliança SkyTeam

Após a decisão de nacionalizar a Alitalia, o governo italiano tomou todas as medidas necessárias para transferir os ativos para a nova empresa controladora, Compagnia Aerea Italiana SpA. Na semana passada, Stefano Patuanelli, ministro do Desenvolvimento Econômico da Itália, revelou alguns detalhes sobre a operação: “Foram publicados rumores em alguns jornais sobre qual será o tamanho da nova Alitalia. Os jornais acreditam que a empresa será uma operadora muito pequena, mas segundo o ministro, as informações não está correta. “Estamos planejando operar aproximadamente 90 aeronaves das 113 que faziam parte da frota no início do ano “.

Patuanelli confirmou que a maioria dos aviões será arrendadas e que apenas nove serão de propriedade da empresa. Atualmente, existem dois Airbus A330-200 e um Boeing 777-300ER, que serão retirados da frota. Ainda assim, a empresa pretende crescer fortemente na oferta de longo curso: “neste momento, gerentes especiais planejam redesenhar a frota para ter pelo menos 30% das aeronaves de longo alcance”, afirmou o ministro.

Continua após a publicidade

Os contratos de leasing existentes estão sendo transferidos para a nova empresa. A administração procura adiar pagamentos até maio de 2021 e, se possível, renegociar taxas, bem acima da média do mercado. Uma reportagem do jornal italiano Corriere della Sera revelou que a Alitalia estava pagando de 40 a 60% a mais por suas aeronaves de curto e longo alcance, provavelmente devido ao seu fraco desempenho financeiro na última década.

O governo confirmou a nova Alitalia deixará a SkyTeam em 21 de maio e ouvirá propostas para se juntar a outra aliança. Até a nacionalização, a Alitalia tinha fortes restrições pelos demais membros da aliança (Air France-KLM e a Delta) para operar novas rotas no Atlântico Norte, mas a joint venture com essas duas empresas garantiu à companhia aérea uma porcentagem da receita dos bilhetes emitidos na Itália, independentemente da companhia aérea emissora ou em operação.

Com esse movimento, a Alitalia renuncia a essa receita, mas recupera a capacidade de ajustar dinamicamente sua oferta no mercado mais cobiçado da aviação mundial. A empresa irá estudar, a possibilidade de ingressar em outra aliança ou formar uma nova joint venture sob condições mais amigáveis.

Em nota emitida pela Alitalia ao Ponte Aérea, informou que no próximo dia 21 analisará novas propostas para se juntar à outras alianças (Oneworld e Star Alliance), porém não confirmou a data como sendo sua saída oficial da SkyTeam.

Compartilhe nas redes sociais

Acesse o Fórum Contato Radar para mais informações sobre a aviação no Brasil e no mundo clicando aqui!

Deixe uma resposta