Air France vende 16 aeronaves Airbus para alugar de volta

A Air France está fechando um contrato de venda e leaseback com o locador global FTAI Aviation. De acordo com uma declaração do arrendador, a transação abrange especificamente dez (10) Airbus A318 e seis (6) Airbus A319, aeronaves estas movidas por motores CFM International CFM56-5B.

Buscando fortalecer sua posição financeira e garantir mais fundos, a venda e o leaseback, vem acontecendo com muita frequência a medida que as companhias aéreas procuram sobreviver à atual crise global.

A locação das aeronaves, será fechada ainda neste mês, o acordo prevê uma duração média de locação de 34 meses. O valor específico do contrato não foi divulgado.

A FTAI Aviation possui e adquire motores a jato e aeronaves comerciais. Em seu site, a empresa afirma que sua “abordagem flexível ao leasing” permitem que eles atendam às necessidades operacionais de seus arrendatários. A companhia aérea, trabalha com 70 operadoras em 42 países. E tem um valor total de ativos de US$ 1,5 bilhão.

Venda e leaseback tornaram-se um termo familiar em meio a esta crise global. Já vimos outras ofertas de venda e leaseback sendo realizadas. O acordo mais recente foi entre a United Airlines e a BOC Aviation, incluindo seis (6) aeronaves Boeing 787-9 e dezesseis (16) Boeing 737 MAX 9. No entanto, a duração e o valor do prazo do arrendamento são desconhecidos. A asiática Cathay Pacific anunciou há quase dois meses que venderia seis de seus aviões Boeing 777-300ER para a BOC Aviation, o acordo foi estimado em US$ 703,8 milhões.

A venda e o leaseback significam um custo mais alto para a companhia aérea a longo prazo, o verdadeiro valor desse contrato é o tempo. Quando uma companhia aérea vende seus ativos mais valiosos a um locador de aeronaves, está ganhando tempo para enfrentar essa difícil tempestade de incerteza financeira. Com os recursos captados, as companhias aéreas podem cobrir seus custos operacionais a curto prazo. Isso inclui a manutenção das aeronaves estacionadas e despesas administrativas.

Compartilhe nas redes sociais

Acesse o Fórum Contato Radar para mais informações sobre a aviação no Brasil e no mundo clicando aqui!

Deixe uma resposta