Air Canada acelera a retirada dos Embraer 190 de sua frota

Para enfrentar o período mais sombrio de todos os tempos na história da aviação comercial, a Air Canada reduziu sua capacidade em 90% neste segundo trimestre e espera que a sua capacidade no terceiro trimestre seja 75% menor do que no mesmo período de 2019. A aérea informou que sofreu um prejuízo líquido de US$1,05 bilhões no primeiro trimestre de 2020, comparado com um lucro líquido de US$ 285 milhões no mesmo período de 2019.

A Air Canada, precisará de pelo menos três anos para que sua receita volte a dar bons resultados, levando em consideração que com atual crise a aérea enfrenta seu pior crescimento em 27 trimestres consecutivos.

A companhia está acelerando a retirada de sua frota de um total de 79 aeronaves, sendo: Boeing 767-300, Airbus A319 e todos os 25 Embraer 190 que terão sua retirada antecipada.

A Air Canada já tinha anunciando a substituição dos modelos Embraer pelos Airbus A220-300 em setembro de 2019, no entanto a retirada do modelo brasileiro levaria 18 meses após a chegada do primeiro A220, que ocorreu em janeiro deste ano.

A idade média dos Embraer 190 da companhia é de 10 anos, e anunciou que pretende colocar todas estas aeronaves recém-aposentadas a venda. A Air Canada irá receber um total de 45 aeronaves do A220-300 que consome 20% menos combustível por assento, quando comparado com o E-190-E1.

Compartilhe nas redes sociais

Acesse o Fórum Contato Radar para mais informações sobre a aviação no Brasil e no mundo clicando aqui!

Deixe uma resposta