Ozires Silva se manifesta em raro discurso a funcionários da Embraer

Segundo ele, não se dirigia diretamente ao corpo funcional da empresa desde 1994, quando a empresa foi desestatizada.

Fundador, o engenheiro aeronáutico ressaltou que todos os desafios encarados pela instituição desde sua fundação em 1970 junto ao então Ministério da Aeronáutica, não foram fáceis de serem enfrentados, e que cabe a eles permanecerem firmes mediante à frustrada empreitada na negociação com a gigante norteamericana Boeing.

Continua após a publicidade

Veja o vídeo a seguir:

Fundador, o engenheiro aeronáutico ressaltou que todos os desafios encarados pela instituição desde sua fundação em 1970 junto ao então Ministério da Aeronáutica, não foram fáceis de serem enfrentados, e que cabe a eles permanecerem firmes mediante à frustrada empreitada na negociação com a gigante norteamericana Boeing.

“Eu queria apenas dizer para vocês e que essa notícia que nós recebemos recentemente de rompimento da associação com a Boeing não deve afetar as nossas cabeças e não deixar pensar claro. Eu diria que pensem que a Embraer vai ter que enfrentar esse desafio como foi o desafio de fabricar aviões, conquistar o mercado internacional, conseguir as certificações necessárias, enfim, estar estabelecida fazendo fronteiras no mundo todo. Isso vai continuar a acontecer uma vez que a epidemia seja removida”, disse Ozires.

Ele também destacou que o futuro da empresa independeria do acordo com a Boeing: “Meus amigos da Embraer, nós temos para frente uma obrigação de sucesso. E sucesso é o que nós temos conseguido até agora. E esse sucesso vai continuar a permear todas as ações que a Embraer tomara daqui em diante, de modo que vamos caminhar com a cabeça erguida, mostrando que a nossa companhia veio ao mundo para ficar”.



Compartilhe nas redes sociais

Acesse o Fórum Contato Radar para mais informações sobre a aviação no Brasil e no mundo clicando aqui!

Deixe uma resposta