Azul e GOL poderão ter um acionista em comum: BNDES

Uma das áreas mais afetadas na crise do novo coronavírus Covid-19, foi o setor aéreo em todo o mundo. No Brasil, o governo federal começa a desenhar um plano para ajudar as duas companhias aéreas brasileiras que possuem capital no Brasil: Azul e GOL.

O plano para o setor aéreo seria através do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que visará a proteção das aéreas brasileiras. Para isso, seria utilizado a BNDES Participações, em que o Banco passaria ser um investidor da Azul e da GOL com emissão de debêntures conversíveis, ou seja, compra de ações. Outra medida que as companhias aéreas poderão contar é com o suporte financeiro, com taxas competitivas e carência de 24 meses com prazo total de 60.

Segundo o presidente do BNDES, Gustavo Montezano, “as debêntures terão prazo de cinco anos e “taxas modestas”, e serão extensivas a todas as empresas do setor aéreo.” Gustavo também falou sobre recursos a serem disponibilizados para a folha de pagamento, “a gente trabalha para que o financiamento para folha de pagamento seja pago na primeira semana de maio, referente à folha de abril, e trabalhamos para antecipar isso”.

Compartilhe nas redes sociais

Acesse o Fórum Contato Radar para mais informações sobre a aviação no Brasil e no mundo clicando aqui!

Deixe uma resposta