Neeleman quer iniciar operações da Moxy com os E-Jets E1 ex-Azul

A ideia é acelerar o início das operações da start-up americana.

Na mesma coletiva de imprensa em que Azul, Embraer e AerCap celebraram a entrega do primeiro Embraer E195-E2, David Neeleman, fundador e atual chairman da Azul, deu mais detalhes acerca do destino dos Embraer de geração antiga da companhia brasileira.

Continua após a publicidade
David Neeleman, fundador da Azul, no evento de entrega do primeiro E195-E2.

De acordo com o empresário, alguns dos E-Jets de geração antiga devolvidos pela Azul devem passar a operar pela nova empreitada de Neeleman nos Estados Unidos, que atualmente conta com o nome provisório Moxy. A ideia é, com tal movimento, acelerar o início das operações da empresa.

A Moxy já tem contrato assinado com a Airbus para 60 Airbus A220-300, alguns dos quais serão da versão de longo alcance. Entretanto, as primeiras unidades devem chegar apenas em 2021. Neeleman pretende iniciar as operações da empresa antes disso.

Quanto à Azul, a companhia, a partir desse ano, passará a se desfazer dos Embraer de geração anterior a toque de caixa, conforme for recebendo os E2. E essa disponibilidade de E1 no mercado converge diretamente com a “pressa” da Moxy em iniciar os seus voos.

A própria Azul utilizou aeronaves usadas advindas de uma antiga empresa de Neeleman para acelerar o início de suas operações em 2008. O PR-AZL e o PR-AZA, dois primeiros Embraer 190 recebidos pela companhia, vieram da JetBlue.

Compartilhe nas redes sociais

Acesse o Fórum Contato Radar para mais informações sobre a aviação no Brasil e no mundo clicando aqui!

Deixe uma resposta