Maior credor da Avianca Brasil pede que Justiça desconsidere proposta da Azul

Fundo Elliott Management é contra novo plano proposto pela Azul.

O maior credor da Avianca Brasil, o fundo de investimento Elliot, solicitou ontem (19) à Justiça de São Paulo a exclusão da nova proposta de US$ 145 milhões feita pela Azul na última segunda-feira, 13.

Detentor de dívidas que somam o valor de quase US$ 490 milhões, o Elliott Management é contra o plano da Azul, que prevê a alienação de uma Nova Unidade Produtiva Isolada (UPI). A oferta contempla parte dos ativos da Avianca Brasil, entre eles os direitos de pouso e decolagem (Slots) nos aeroportos de Congonhas e Santos-Dumont.

Avianca

Segundo o fundo de investimento, a proposta feita em conjunto com a GOL e LATAM, é a única legitíma e aprovada pelos demais credores em assembleia do plano de Recuperação Judicial. Ambas as companhias foram procuradas pela Elliott Management, e fariam ofertas mínimas de US$ 70 milhões por uma das sete Unidades Produtivas Isoladas (UPI), constituídas no Plano de Recuperação Judicial Revisado.

A Avianca Brasil entrou em recuperação judicial em dezembro do ano passado. Com slots nos aeroportos da ponte aérea Rio-São Paulo, a briga judicial e comercial pelo espólio da quarta maior companhia aérea do país vem se intensificando.

 

 

 

 

Compartilhe nas redes sociais

Acesse o Fórum Contato Radar para mais informações sobre a aviação no Brasil e no mundo clicando aqui!

One thought on “Maior credor da Avianca Brasil pede que Justiça desconsidere proposta da Azul

Deixe uma resposta