Anac recomenda que governo vete a gratuidade de bagagem

Texto aguarda aprovação do presidente Jair Bolsonaro.

Em nota técnica encaminhada hoje (30) ao Ministério da Infraestrutura, a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) recomenda que o governo vete a decisão que proibiu a cobrança de franquia de bagagem em voos domésticos.

Segundo a Anac, obrigar o despacho gratuito de bagagem “reduz os efeitos potenciais da abertura do setor ao capital estrangeiro”. Outro órgão que se manifestou contra a proibição foi o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

IMG_7390_pa
Texto do projeto de lei libera bagagem de até 23 kg em aeronaves com capacidade superior a 31 lugares.

De acordo com o Cade, a volta da gratuidade pode “impactar diretamente o modelo de negócios das empresas aéreas de baixo custo (low cost) que estão entre as principais interessadas em entrar no Brasil”.

O texto do projeto de lei aprovado pelo Congresso Nacional na semana passada, retomou a gratuidade para bagagem em voos domésticos, de até 23 kg em aviões com capacidade acima de 31 lugares, 18 kg em aeronaves com 21 a 30 assentos e 10 kg se o avião tiver até 20 assentos.

A Medida Provisória 863/18 que liberou 100% de participação de capital estrangeiro nas empresas aéreas do país, aguarda a sanção do presidente Jair Bolsonaro.

 


Acesse o Fórum Contato Radar para mais informações sobre a aviação no Brasil e no mundo clicando aqui!

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido pelo Contato Radar!