Em recuperação judicial, Viracopos é avaliado por cinco empresas

Sexto maior aeroporto do país, soma dividas de R$ 2,88 bilhões.

O Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas, sexto maior terminal aeroportuário do país, em número de passageiros, acumula dívidas de R$ 2,88 bilhões. Em recuperação judicial desde maio do ano passado, o aeroporto gera interesse de cinco empresas.

Continua após a publicidade

O consórcio formado pela Zurich Airport e a brasileira IG4 Capital, é a principal interessada no terminal campineiro. Em novembro de 2018, a Zurich e o IG4 fizeram uma proposta de compra da concessão. A oferta previa investimentos de até R$ 400 milhões no complexo aeroportuário, e a conversão de dividas em participação acionária.

1bf4daaa-992c-4dd3-9473-510513823d56-172-00000010315b3ae0

Além da Zurich e IG4, outras quatro empresas mostram interessem por Viracopos. Em entrevista ao portal de notícias G1, Gustavo Müssnich, presidente da concessionária Aeroportos Brasil Viracopos, afirmou que outras quatro empresas avaliam a situação financeira e os ativos do empreendimento.

Todas as ofertas protocoladas devem ser apresentadas aos credores e acionistas, e apreciado no processo de recuperação judicial.

Eleito o melhor aeroporto de 2019, Viracopos, principal centro de conexões (Hub) da Azul Linhas Aéreas, registrou movimento total de 9,22 milhões de passageiros durante o ano de 2018. Segundo maior em carga do país, passaram pelo Terminal de Carga (TECA) do aeroporto no ano passado 241.324 toneladas, sendo o maior índice desde o início da concessão, em 2013. A movimentação cargueira corresponde a aproximadamente 70% do faturamento total de Viracopos.

VCP movimento
VCP movimentou 9,22 milhões de passageiros em 2018.

“A chance de vender, hoje, eu diria que é de 50%. A nossa prioridade é a recuperação judicial. Temos de aprovar o plano, mas mesmo após o plano aprovado, se a proposta for interessante para os acionistas, eles vão vender. Eu acredito que a venda seja muito possível. Mas agora, quem administra o aeroporto somos nós e precisamos aprovar a recuperação judicial”, disse Gustavo Müssnich ao G1.

De acordo com o G1, a Inframérica, o Grupo CCR, a espanhola AENA e a Aéroports de Paris seriam as outras quatro empresas interessadas em Viracopos.

 

Compartilhe nas redes sociais

Acesse o Fórum Contato Radar para mais informações sobre a aviação no Brasil e no mundo clicando aqui!

Deixe uma resposta