Azul e Correios decidem não realizar joint venture

Últimos posts por Raphael Magalhães (exibir todos)

Azul Cargo pretende ter maior flexibilidade com possíveis novos contratos e acordos comerciais.

Continua após a publicidade

Em comunicado divulgado hoje (27), empresa anunciou a decisão de não realizar acordo com a Empresa de Correios e Telégrafos – ECT.

Como resultado, a companhia acredita que é de seu interesse ter flexibilidade para celebrar outros acordos comerciais mais favoráveis, assim como participar de futuros processos de licitação competitiva dos Correios para o transporte de cargas.

img_7441_pa1

A suspensão deste memorando de entendimentos não impacta as projeções financeiras da Azul para o ano de 2019.

“Apesar de não conseguirmos chegar em um acordo comercial mútuo com os Correios, estamos animados com o potencial de crescimento da Azul Cargo. Esperamos continuar expandindo nossa base de clientes, que já inclui as principais empresas e-commerce, varejistas e fabricantes do Brasil, como Mercado Livre, Pague Menos, e Samsung, que valorizam nossa solução logística confiável, abrangente, e de porta a porta. Com a adição de aeronaves de nova geração em nossa frota, que possuem maior compartimento de carga, esperamos ver uma contribuição significativa de margem proveniente da nossa unidade de negócio de cargas nos próximos anos”, comenta John Rodgerson, CEO da Azul.

Em 2018, a receita da Azul Cargo Express apresentou crescimento recorde de 57%, significativamente maior do que a Companhia havia projetado em suas discussões iniciais com os Correios.

Compartilhe nas redes sociais

Acesse o Fórum Contato Radar para mais informações sobre a aviação no Brasil e no mundo clicando aqui!

Deixe uma resposta