Embraer EMB-110 BANDEIRANTE completa 50 anos

Ao longo de 18 anos de produção, foram fabricadas e entregues 498 aeronaves.

Em 1965, uma equipe de engenharia do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento (IPD) do CTA atual DCTA (Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial) iniciava o desenvolvimento da aeronave denominada IPD-6504. A equipe era supervisionada por Ozires Silva, e contava com o projetista francês Max Holstee e o também projetista e engenheiro Guido Pessotti.

O projeto se baseava em estudos sobre a densidade do tráfego aéreo brasileiro. O estudo observava o atendimento à cidades pequenas, tipos de pisos e comprimentos das pistas dos aeródromos brasileiros. Assim, o projeto seguia as diretrizes ideais para obter um avião adaptado às condições e necessidades brasileiras.

45A1CE9B-687A-4673-A78D-80BBC80B04AF-230-00000002AC54EC86
IPD-6504 deixa o hangar para seu primeiro voo, em 22 de outubro de 1968.

Ao longo de três anos, o projeto foi concluído, e em 22 de outubro de 1968, o protótipo do IPD-6504 realizava seu primeiro voo. O IPD-6504 (futuro Bandeirante) era um turbo-hélice, de asa baixa, equipado com dois motores Pratt & Whitney PT6-020, e com capacidade para oito pessoas.

6FD83999-2366-4E78-B640-5F272CFFF7BC-230-0000000443D729F1
Decolagem do primeiro voo do IPD-6504, em 22 de outubro de 1968.

No ano seguinte, no dia 19 de agosto de 1969, a Embraer foi criada para iniciar a produção em série do modelo. Ozires Silva, um dos líderes do projeto foi nomeado o presidente da empresa.

Ozires_Silva-960x557
Ozires Silva, supervisor do projeto do IPD-6504 e primeiro presidente da Embraer.

Com a criação da Embraer o projeto IPD-6504 recebeu sua nomenclatura comercial EMB-100. Entre as primeiras encomendas recebidas, a Força Aérea Brasileira (FAB) realizou a compra de 80 aeronaves, fabricadas em uma nova versão que incorporava muitas modificações necessárias para a produção em série. Esse modelo foi chamado de EMB-110. O Brigadeiro Paulo Victor da Silva batizou a aeronave com o nome “Bandeirante”, em referência aos desbravadores pioneiros da integração nacional.

IMG_2492

CD3D0102-9693-4110-AEF1-AC6FAA5580FF-317-0000000B33CC222E
Linha de montagem do Embraer EMB-110 Bandeirante.

O primeiro EMB 110 produzido em série fez seu vôo inaugural em 9 de agosto de 1972. A primeira entrega foi realizada no ano seguinte, em 9 de fevereiro de 1973 à Força Aérea Brasileira.

Em 1976, o governo anunciou a criação do SITAR (Sistema Integrado de Transporte Aéreo Brasileiro) com objetivo de desenvolver a aviação regional em todo o país. Cinco companhias regionais ficariam responsáveis por cinco regiões distintas no país. Todas elas iniciaram operação com o EMB-110, entre elas a Tam, Rio Sul e Nordeste.

Com mais de 20 versões e produção ao longo de 18 anos, foram fabricadas 498 aeronaves, 253 delas foram entregues para o Brasil. A linha de montagem do EMB-110 BANDEIRANTE foi encerrada em 1991, sendo que a última aeronave SN 498 (sob encomenda) foi entregue para o Governo do Amazonas em 1995

https://m.youtube.com/watch?v=UUqrWb7eppI&ebc=ANyPxKrjLnJFLcLRXeWp8zJ254MiBB9_2wRvu-MgeFKrB4S2Ty5qdgl8sbc70zxNnjL5e3UG4Ha_XnCA8wnrxykBeVuc8Vpk1Q

Compartilhe nas redes sociais

Acesse o Fórum Contato Radar para mais informações sobre a aviação no Brasil e no mundo clicando aqui!

Deixe uma resposta