C Series não terá impostos solicitados pela Boeing e governo dos EUA

Medida que era solicitada pela Boeing, previa impostos de até 300%.

Continua após a publicidade

A Comissão Americana do Comércio Internacional rejeitou o pedido da Boeing com o apoio do Departamento do Comércio, de aplicar impostos que poderiam chegar até 300% no programa C Series da Bombardier.

Para a Boeing, estariam sendo prejudicados nas vendas de suas aeronaves em relação ao C Series do país vizinho pois as aeronaves eram comercializadas abaixo do custo de produção, o que só seria possível com o subsídio do governo canadense no projeto. Em decisão unânime na Comissão, a Boeing não foi prejudicada e o pedido rejeitado.

CS100
O Bombardier CS100 realizando voo de testes

A Bombardier comemorou a ação da Comissão. “A decisão de hoje (sexta-feira) é uma vitória da inovação, da concorrência e da lei. Também é uma vitória para as companhias aéreas americanas”.

A Delta, principal cliente do C Series nos Estados Unidos, também emitiu um comunicado. Para a companhia, a Boeing não oferece alternativas no mercado de 110 assentos, esperando apresentar em breve o C Series em benefício dos seus empregados, clientes e investidores.

Segunda a Boeing, “Estamos desapontados de a Comissão de Comércio Internacional não ter reconhecido o dano que a Boeing sofreu com os bilhões de dólares em subsídios ilegais que o Departamento de Comércio descobriu que a Bombardier recebeu e usou para praticar dumping na venda de aviões no mercado americano de aeronaves pequenas com um só corredor”.

Compartilhe nas redes sociais

Acesse o Fórum Contato Radar para mais informações sobre a aviação no Brasil e no mundo clicando aqui!

Deixe uma resposta